O PANTANAL DE VOLTA AO RADAR

Iniciativa “Documenta Pantanal” une empreendedores, fazendeiros e artistas para divulgar o belo — e o feio — da maior planície alagada do mundo

A história de Ruivaldo Nery Andrade guarda semelhanças com a de outros fazendeiros que viviam às margens do rio Taquari, um dos mais importantes a atravessar o Pantanal brasileiro. Na década de 80, houve o início do acúmulo de milhões de toneladas de sedimentos oriundos do planalto. O assoreamento rompeu as margens do rio, colocou debaixo d’água de forma permanente uma área estimada em 1,3 milhão de hectares e resultou em uma verdadeira tragédia econômica, com a expulsão de mais de 300 famílias que tiveram suas fazendas inundadas, além das sequelas para a biodiversidade. O que diferencia Ruivaldo da maioria dos fazendeiros e ribeirinhos locais foi a resistência. Com sacos de areia, ele construiu manualmente um dique e salvou a propriedade, onde vive com a esposa e a filha até hoje, mantendo a criação de gado e o plantio de mandioca e coco. Um ato heroico, que o transformou em personagem de documentário. Ruivaldo — O Homem que Salvou a Terra teve a estreia internacional em setembro de 2019 no Musée des Sciences Naturelles, em Bruxelas, capital da Bélgica. O longa, dirigido por Jorge Bodanzky, também abriu a programação da Semana do Meio Ambiente na 9ª mostra Ecofalante de Cinema no início de junho.

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição, acesse a Época Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png
NovoLogoEpocaNegociosMar2016_Branco.png