IMG_2729-Editar-LOW.jpg
Empresa do ano

DO DISCURSO À PRÁTICA

Na Accenture, Empresa do Ano da Pesquisa de Diversidade e Inclusão 2022, ações fizeram com que a estratégia saísse do papel e resultasse em vidas transformadas

Em 2018, aos 22 anos, Gabriel Rocha começou a trabalhar na Accenture, multinacional de tecnologia da informação e maior empresa de consultoria do mundo, para compor a equipe do escritório de Recife, em Pernambuco. A história seria apenas mais uma entre as dos 2,2 mil colaboradores que dividem o mesmo endereço de trabalho se não fosse por um detalhe: três meses depois, ainda no período de experiência, Gabriel se descobriu grávido. Homem trans, ele já havia adotado o nome social, mas ainda não tinha retificado seus documentos de identidade. 
Ao saber da gravidez, Rocha avisou a líder da equipe. Ela, por sua vez, disse que precisava falar com o superior da área. O chefe o chamou para uma conversa e perguntou se poderia comunicar aos outros funcionários que Rocha era um homem trans e grávido, com o objetivo de mostrar a todos que a empresa estava apoiando a gestação e que não toleraria nenhum comentário negativo. “Desde o meu início na empresa, fui extremamente abraçado pelos colegas e chefes, até por quem não sabia que sou trans”, diz Rocha, sobre essa experiência. Nos meses seguintes, recebeu uma sequência de benefícios: a empresa organizou um chá de bebê, o que garantiu o estoque de fraldas por um ano e meio; uma enfermeira o visitou em casa para dar orientações sobre amamentação; durante os primeiros dois anos da criança, a Accenture disponibilizou um suporte financeiro. 

GloboMais.jpg

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição, acesse a Época Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png