O MAIS ÁRDUO DOS DESAFIOS

O aquecimento global expõe o esgotamento do modelo econômico atual e deixa evidente que o futuro da Terra depende das empresas

“Cada geração é, sem dúvida, chamada a reformar o mundo. A minha sabe que não vai reformá-lo, mas sua tarefa talvez seja ainda maior. Consiste em evitar que o mundo se destrua.”
A fala do escritor francês Albert Camus (1913-1960), ao receber o Nobel de literatura de 1957, é lembrada por François Villeroy de Galhau, presidente do Banco da França, no prefácio do recém-lançado The Green Swan: Central Banking and Financial Stability in the Age of the Climate Change. Editado pelo BIS, sigla em inglês para Bank for International Settlements, o banco central dos bancos centrais, o livro avalia o impacto da crise climática na estabilidade financeira global. Apesar de contextos diferentes, lembra François, as palavras de Camus soam inspiradoras no momento em que a humanidade enfrenta a ameaça do clima. “Apesar da conscientização crescente, a dura realidade é que estamos perdendo a luta contra as mudanças climáticas”, escreve o executivo. 

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição, acesse a Época Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png
NovoLogoEpocaNegociosMar2016_Branco.png