A HISTÓRIA DELES

É A MESMA DE

TANTAS FAMÍLIAS

Marcos e Margarete  Brito são pais de Sofia. A menina de 11 anos é portadora de  uma síndrome rara. Recém-nascida, era acometida por crises epilépticas diárias. Sem que nenhum medicamento tradicional atenuasse o sofrimento da garota, a mãe encontrou alívio para a filha na Cannabis medicinal. 

“Depois de uma gravidez e um parto maravilhoso, no dia 3 de dezembro de 2008, Sofia nasceu. Bebê lindo, gorducho. Tudo certo até ali. Aos 35 dias de vida, ela começou a sofrer convulsões. Foi o início de um sofrimento. Seis crises por dia. Além de dar drogas e mais drogas para aquela criança tão pequenininha, tão delicada, nenhuma delas controlava as crises. Eram drogas e mais drogas, todas lícitas. Tarja preta, vermelha, amarela... Todas as cores, todas as doses, todas as combinações.


Só após dois anos e meio tivemos o diagnóstico: CDKL5, uma desordem genética recém-descoberta que prejudica a produção de uma proteína fundamental para o bom funcionamento do cérebro, caracterizada por crises epilépticas frequentes. Comecei um blog para compartilhar minha história e, quem sabe, encontrar outras pessoas com casos parecidos. Conheci muitas mães em situações semelhantes. Trocamos informações e descobrimos que a maconha poderia ser um tratamento não só para a epilepsia resistente aos medicamentos, como também para Parkinson, Alzheimer, esquizofrenia, autismo, dores e náuseas provocadas pelo câncer, esclerose múltipla e outras tantas doenças.

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição, acesse a Época Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png
NovoLogoEpocaNegociosMar2016_Branco.png