O DILEMA DA TRANSIÇÃO

Para Anne Simpson, diretora de sustentabilidade do maior fundo de pensão do mundo, o Calpers, a mudança climática ameaça diversos negócios do portfólio — e esse risco não pode mais ser ignorado

A britânica Anne Simpson é ao mesmo tempo uma das mulheres mais influentes do mundo das finanças globais e também da luta contra a mudança climática. Desde o ano passado, Anne é responsável pela governança e sustentabilidade do Calpers (sigla para California Public Employees’ Retirement System), o maior fundo de pensão público dos Estados Unidos. Com quase US$ 450 bilhões sob sua administração, o Calpers faz a gestão da aposentadoria de mais de 2 milhões de funcionários públicos da Califórnia e tem influência considerável no mundo das finanças.
O Calpers foi um dos pioneiros a incluir fatores ambientais e sociais nas contas feitas antes de fazer investimentos. E essa parte da equação é cada vez mais importante nas decisões tomadas pelo fundo, disse Anne a Época NEGÓCIOS. A mudança climática é um risco real para os gestores de bens — 20% dos recursos do Calpers estão investidos em empresas potencialmente vulneráveis, segundo a executiva. E a estratégia não pode apenas olhar décadas no futuro — o fundo tem de pensar no curto prazo, para pensões já. “Temos de gerar US$ 25 bilhões para pagar benefícios anualmente”, afirma Anne. Leia abaixo os principais trechos da entrevista que ela concedeu a Época NEGÓCIOS via videoconferência.

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição, acesse a Época Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png
NovoLogoEpocaNegociosMar2016_Branco.png