SÍMBOLO DO AMOR E EMBLEMA DA LUTA

Memorial em lembrança das vítimas das pandemias, em especial da covid-19

Expressão máxima de esperança em tempos incertos. Assim o arquiteto uruguaio Martín Gómez Platero definiu o Memorial Mundial à Pandemia, monumento em homenagem às vítimas de todas as epidemias, em especial às da covid-19. “A arquitetura é uma ferramenta poderosa para transformar o mundo”, diz Martín. “É, antes de tudo, uma realidade coletiva e histórica, feita de pequenos fragmentos que sobrevivem no tempo e se transformam em cultura. É uma forma de mostrar quem somos neste planeta. Ao criar um memorial capaz de ativar sentidos e memórias, podemos lembrar aos nossos visitantes que nós, como seres humanos, estamos subordinados à natureza — e não o contrário.” O memorial se situará em um trecho da orla uruguaia, acessível apenas por uma longa passarela, que aos poucos afasta os visitantes de sons e visões da vida urbana. Sua superfície côncava será construída em concreto e, no centro da plataforma, o vazio “aberto ao oceano ondulante permite que as pessoas observem a natureza em seu estado mais majestoso e puro, lembrando-nos de nossa própria fragilidade”, define o arquiteto.

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição, acesse a Época Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png
NovoLogoEpocaNegociosMar2016_Branco.png